Storytelling – conte histórias

Todo mundo tem aquela história que marcou sua vida. Um filme, livro, série, desenho, entre outros que a pessoa lembra com carinho. Para que esses autores/escritores chegassem ao ponto de torna-las inesquecíveis, eles desenvolveram seu storytelling ou sua “arte de contar histórias”.  

Mas onde isso se encaixa em campanhas publicitárias? Pois saiba que é usando esta arte de contar histórias, de desenvolver narrativas marcantes, que muitas campanhas marcam época, sendo lembradas por muitos anos depois. Aqui explicaremos um pouco mais sobre o storytelling e como ele pode ser um diferencial em toda mensagem que você queira transmitir para seu público. 

O que é storytelling e qual sua importância? 

Para começar, vamos entender o conceito do storytelling, que na verdade é bem simples. Trata-se da arte de contar, adaptar ou desenvolver histórias com eventos que deem a noção de começo, meio e fim. Para isso, utilizam-se quatro elementos básicos: personagem, ambiente, conflito e uma mensagem. 

A ideia ao contar boas histórias é que você produza um algo único e que marque de alguma forma a vida das pessoas. Por exemplo: quando o autor o leva na “jornada do herói” (quando vemos o protagonista, desde sua queda até sua glória), ele te conduz em uma narrativa que busca gerar identificação, despertar emoções e busca transmitir uma mensagem final.  

No entanto, é preciso destacar que isso não se aplica apenas a histórias tradicionais, mas a toda e qualquer mensagem que se quer transmitir. Campanha publicitárias que fizeram história, trazem esses elementos, mas colocados de uma outra forma. 

Imagine que fôssemos falar sobre o storytelling aqui contando uma história:

“O mundo estava correndo sérios perigos. Com a falta de criatividade das pessoas, sufocadas pelos seus trabalhos, a ilusão e a fantasia não mais apareciam. Dessa forma, a tristeza tomou conta do planeta, e os dias foram ficando cinzentos, assim como as pessoas deprimidas. Foi neste momento que apareceu o super-herói Contador de histórias, que por meio de storytelling devolveu às crianças e adultos a alegria de viver de forma criativa. ele contou diversas histórias, que foram repetidas à exaustão pelas gerações seguintes”.

É um exemplo simples que dá ao storytelling uma grande importância e protagonismo dentro de uma situação cotidiana. Agora imagine isso com o seu produto, seria muito legal, não?

Os quatro elementos do storytelling 

Acima, explicamos que a arte de contar histórias conta com quatro elementos básicos, mas agora falaremos um pouco mais de cada um deles em separado: 

  • Ambiente – primeiramente é preciso ter um ambiente onde se desenvolverá a história. Então quanto melhor o público se familiarizar com ele, melhor. Entretanto é importante aqui que não haja excessos, senão o efeito pode ser o oposto, ao tornar-se algo maçante; 
  • Mensagem – é fundamental que a mensagem passada seja forte e/ou marcante, pois mesmo que a forma como ela seja contada não esteja à altura, pode-se compensar. Já o oposto não acontece, porque nem uma narrativa forte sustenta algo que não marque a vida das pessoas; 
  • Personagem – o protagonista em questão que passa por toda jornada. Aqui fica a liberdade criativa de cada um, que pode criar um ou mesmo colocar o público nesse papel; 
  • Conflito – Por fim, a parte que prende a atenção do público. Aqui precisamos de desafios que motivem e tragam a superação do protagonista. Contudo, não podem ser coisas fáceis ou muito romantizadas, pois acaba não trazendo uma identificação. Só que também é preciso haver um equilíbrio, para que algo não pareça difícil demais e seja superado sem mais nem menos, pois o efeito será igualmente ruim (parecerá “forçado”). 

Importante destacar que, embora toda narrativa seja storytelling, o contrário não ocorre. Isso porque pode-se usar elementos narrativos, mas sem que eles se tornem uma narração histórica.  

Os passos para uma boa história

Para começar, vale pegar um estudo feito por Joseph Campbell em seu livro “O Herói de Mil Faces”. Nele, o autor traz um padrão narrativo presente em muitas histórias famosas. Confiram: 

  1. Somos apresentados ao herói e ao seu mundo; 
  2. O conflito surge para o herói; 
  3. Começa o momento do conflito interno, quando ele tem o desejo de encarar o desafio, mas ao mesmo tempo se questiona sobre sair de sua zona de conforto; 
  4. Surge algo que motiva a ação. Pode ser um evento, um mentor, um guia etc; 
  5. Ele deixa seu mundo e embarca na jornada; 
  6. Surgem os testes, os inimigos, mas também aparecem novos aliados; 
  7. O momento em que ele supera seu primeiro desafio na jornada; 
  8. Chegamos ao momento em que ele enfrenta sua maior provação e/ou tragédia, posteriormente levando-o ao “fundo do poço”; 
  9. A superação dessa difícil prova, que costuma trazer uma importante mensagem (para o herói e também para o público); 
  10. Começa a jornada de volta para seu mundo natal; 
  11. Um novo conflito é apresentado ao herói (muitas vezes pode ser o clímax da história). Entretanto aqui o herói já está preparado para enfrentá-lo; 
  12. Ele finalmente retorna para seu lar, agora com o “elixir” que mudará seu mundo. Essa recompensa varia muito de acordo com a história. 

Entretanto ressaltamos que não é obrigatório em uma narrativa todos esses passos, mas com eles presentes, não faltará nenhum elemento do seu storytelling. Agora com essa base, podemos observar como aplicar na prática. 

Utilizando storytelling no marketing de conteúdo 

Algumas dicas são muito importantes na hora de construir sua história e utilização no chamado marketing de conteúdo. Estes elementos são muito importantes para melhorar o SEO de um website, pois trarão mais resultados em termos de visualização e compartilhamento

  • Primeiramente é preciso ser objetivo. Não adianta fazer narrativas sem uma ordem clara, pois a mensagem pode não ser entendida. Conduza seu público de forma simples. Posteriormente vem a criatividade. Oferecer algo diferente é fundamental, assim como uma forma original de contar aquilo.  
  • Os famosos “plot twists” (viradas narrativas), quebras de expectativas são ótimas formas de prender o público. Contudo aqui é importante que não se peca o foco da sua mensagem principal. Finalmente, a mensagem e as sensações transmitidas, precisam ser positivas.  
  • Não significa que a história seja apenas de bons momentos (pois a tornaria maçante), mas que ela termine de uma forma que a pessoa se sinta cativada e marcada positivamente por aqui. E claro, que a solução ou o “elixir” citado, seja justamente o que você tem a oferecer. 

Uma opção interessante é pensar no storytelling como uma história em quadrinhos. Se quiser conhecer um pouco mais sobre o tema, criamos no blog da ABRA, um importante parceiro nosso, uma interessante série sobre comics nacionais e internacionais, confere lá!

Gostou deste tema? Entre em contato com nossa equipe agora mesmo, e saiba como criar conteúdo de qualidade para alavancar as vendas da sua empresa!

Contato

Quer melhorar a comunicação de sua empresa? Tirar um projeto da cabeça e começar a fazer com que ele vire realidade? Entre em contato com nossa equipe. Não trabalhamos com nenhum tipo de pacote pronto, analisaremos a sua necessidade e apontaremos a solução de acordo com o que sua empresa precisar.

    Open chat